início Ela Livros
Blogroll Contato


2 de setembro de 2015

chez b literatura a procura de audrey sophie kinsella

A primeira vez que li Sophie Kinsella foi em Os Delírios de Consumo de Becky Bloom, quando eu tinha 20 anos e imediatamente me apaixonei. Desde então, não houve um livro da autora que eu não tenha lido, seja da sequência de Becky ou os demais chick-lits por ela lançados. E este ano chegaram ao Brasil, dois lançamentos: Becky Bloom em Hollywood (o sétimo da saga) e, o primeiro Young Adult de Sophie, À Procura de Audrey. Eu estava ansiosíssima por ambos, mas principalmente pelo último, já que é uma proposta diferente. Por sorte, a edição é da Galera Record e rapidinho eles me mandaram um exemplar!

À Procura de Audrey conta a história de uma garota de 14 anos que sofre de depressão e crises de ansiedade, desencadeadas por uma situação de bullying que ocorreu no colégio. Por esse motivo, Audrey passou um tempo internada em um hospital psiquiátrico e, desde então, vive trancada de óculos escuros em casa, evitando ter contato visual ou falar com qualquer pessoa que não sejam seus pais e irmãos. No entanto, sua vida começa a mudar um pouco quando, mesmo a contragosto, conhece Linus, amigo de seu irmão, com quem passa a se comunicar por meio de bilhetes.

Eu sou duplamente suspeita para opinar sobre o livro: primeiro, sou mega fã da Sophie Kinsella; e, segundo, tive/tenho um quadro de saúde muito parecido com a da personagem, o que gerou uma identificação quase dolorida, fazendo com que eu revivesse muitos momentos difíceis com a leitura. Mas, enfim, ao que interessa: o livro é muito, muito bacana! Audrey cativa o leitor e o convida a ingressar no seu (para muitos) estranho mundo e entendê-lo um pouco mais. Sophie foi muito certeira as feridas apontadas, nos sentimentos transmitidos. Com o bom humor que lhe é característico, nos faz adorar os personagens, compreender suas situações – que podem ser muitos reais, garanto – e torcer muito por eles!

É um livro fofo, engraçado, concreto, com um enredo delicioso e um ritmo bom. A história, repito, é muito próxima de diversas realidades e me encantou o modo como a autora transpôs isso. Espero que À Procura de Audrey  seja apenas o primeiro de muitos YA de Sophie!

chez b literatura a procura de audrey sophie kinsella 02





22 de julho de 2014

mini-becky-bloom

Eu, mega fã que sou da Becky Bloom, tava louca pra ler esse livro. Dizem que é o último da série e já fiquei toda saudosa com peninha da despedida! Mas, não foi aquilo tudo

Becky e Luke têm uma filhinha de dois anos, Minnie, que deve ter herdado o espírito consumista da mãe, já que quer tudo que vê pela frente e vive se metendo em confusões (sim, mesmo nessa idade). Não dá pra dizer que o livro não é legal. É um bom passatempo e tem alguns trechos bem divertidos. Porém, no contexto geral achei forçado demais. Por vezes, Becky é tão sem noção e tão sem limites que deixa de ser engraçado e torna-se irritante! Cansou um pouco e fiquei meio decepcionada, esperava algo mais inteligente e animado para um último livro dessa coleção.

Talvez as estórias da Becky já estejam muito repetitivas. Quem sabe seja a hora de Sophie Kinsella inovar mais e dar continuidade às suas outras personagens que têm tudo para render bons frutos, como a fofa Poppy de Fiquei com o seu número! Ou, ainda, criar uma reviravolta interessante para a Becky (mas, please, não mate o Luke! hahaha).

mini becky bloom





4 de julho de 2014

fiquei com o seu número

O primeiro chick lit que li, lá pelos meus 16 anos, foi Os Delírios de Consumo de Becky Bloom, da amada Sophie Kinsella. Depois, encarei Bridget Jones e a saga do Diário da Princesa. Mas, nada como Becky e a escrita envolvente de Sophie. Lembro que esperava ansiosamente pelos próximos livros e era das primeiras a comprar, ainda no pré-lançamento.

Agora, depois de anos sem ler livros da Sophie Kinsella ou qualquer outro chick lit, consegui voltar a ter tempo para eles e o primeiro escolhido foi Fiquei com o seu número. O livro conta a história de Poppy, uma garota que está noiva e, um dia, numa conferência, perde seu anel de noivado e seu celular. Então, ela encontra um aparelho no lixo e passa o número para que os funcionários do local possam telefonar, caso encontrem seu anel. Porém, o celular é corporativo e seu dono, Sam, não gosta nada quando descobre que está com Poppy. E aí inicia o desenrolar da estória…

Sabe aquele livro delícia que a gente não tem vontade de parar de ler nem um minutinho? Então! Fiquei com o seu número é divertido, entretém fácil, rende boas risadas e tem um final não tão clichê assim! O enredo é animado e flui num ritmo bom. Claro que às vezes as situações são um pouco forçadas, fora da real, o que é típico nos livros da autora. De todo modo, é daquelas comédias românticas femininas que valem a pena! Foram algumas horas de diversão garantida! Adorei muito e super indico!

Fiquei com o seu número

 





10 de novembro de 2009

Untitled-1

 

Já tinha ditoaqui que sou suuuper fã da Sophie Kinsella. Desde que li Os Delírios de Consumo de Becky Bloom, vivia esperando para ler os próximos lançamentos da autora. Li toda a saga da Becky (e quero mais), Samantha SweetEmma Corrigan. Agora, o último lançamento da autora nos apresenta Lexi Smart, uma menina de vinte e poucos anos, que sofre um acidente e acorda sem lembrar dos últimos 3 anos da sua vida. E, ainda descobre que tem um marido lindo, um apartamento dos sonhos e vários terninhos Chanel!

A leitura, como sempre nos livros da Sophie, é simples, rápida e gostosa. O livro é daqueles que prende e você devora rapidinho! Vale a pena e é uma ótima pedida pra listinha de verão. Eu gostei bastante. Fica a dica!

Quem mais leu? Gostaram?

Beijinhos,

B.

 

lembra de mim