início Ela Livros
Blogroll Contato


29 de janeiro de 2015

Nas últimas semanas, a Lu do Chata de Galocha publicou um vídeo intitulado Unpopular, em que Erika Napoletano fala sobre a popularidade (ou a falta dela) das nossas decisões e escolhas. Vi várias pessoas compartilhando o post blogosfera afora e, de fato, ele é muito interessante e verdadeiro. Refleti bastante sobre o assunto, o que me fez perceber como fui mudando minhas percepções ao longo dos anos.

Houve um tempo em que me preocupava – talvez em demasia – com o que outras pessoas fossem pensar de mim, seja como pessoa, seja uma atitude, uma decisão ou uma escolha. Eu realmente chegava a deixar de fazer algo por medo de comprometer minha imagem perante os outros, talvez até por medo de perceberem que eu não sou perfeita – como se todos já não soubessem e também não o fossem! Não estou falando de atitudes consideradas erradas ou fora do padrão, mas todo e qualquer ato precisava ser muito bem pensado para que não denegrisse o “eu” que gostaria de transmitir.

chez b. popularidade das nossas decisões 01

Pois bem. O tempo passa – e muito! -, vamos acumulando experiências, os nossos valores são fortificados, nossas posturas mudam  e com isso nossa percepção de mundo. Comigo foi assim: numa bela tarde ensolarada (na verdade, foi numa noite conturbada, mas quis enfeitar um pouquinho!) me deparei com a necessidade de tomar uma grande decisão que definiria totalmente a minha vida. Eu tinha duas opções inconciliáveis e, portanto, tive que optar por uma e só eu tinha o poder de escolha. Foi aí que olhei pra dentro e me dei conta de que simplesmente não importava o que as outras pessoas iam pensar. Era e é a minha vida. Eu que sofri, sofro e vou sofrer as consequências dessa e de todas as minhas escolhas, que colho os frutos das minhas decisões.

Percebi o quanto essa preocupação é egocêntrica e o quanto não é importante o que as pessoas pensam sobre nós e sobre nossas decisões. Egocêntrica sim, porque a sensação que se tem, é que todos estão nos reparando, nos percebendo, nos notando; mesmo que na maioria das vezes passemos despercebidos. A pessoa que se preocupa acha que o mundo inteiro está de olho na decisão que ela vai tomar. Só que não. Existem outras coisas muito mais importantes, obviamente.

Mais: na prática, que real importância tem o julgamento que fulano de tal faz de você? Ou sobre algo que você decidiu? Ou sobre algo que você quer? Nenhuma. Tomar decisões “populares” para agradar outras pessoas – que não você mesmo e a pessoa que sofrerá o reflexo direto dela – é mais do que desperdício de tempo, é desperdício de vida. A vida é uma só (pelo menos essa, né hahaha) e é aqui e agora que temos pra fazer o que gostamos, queremos e nos propomos. Ninguém vai fazer por você.

chez b. a popularidade das nossas decisões 2

Voltando ao vídeo, passar a vida inteira tentando ser algo que não somos, fazer o que não queremos é sabotagem com nós mesmos. Por mais perfeitos que tentemos ser, nunca seremos realmente unânimes. Temos que ser honestos, sinceros e autênticos e, assim, conquistarmos o nosso grupo por aquilo que essencialmente somos, pensamos e escolhemos para nossa própria vida e não aquilo que supostamente deveríamos ser, pensar e escolher. Aí sim, sendo você mesmo, o outro pode decidir se gosta ou não de você. Como diz Erika, “Love me, hate me, just don’t be in the middle”.

Nunca vamos agradar o mundo inteiro, nunca. E não tem porquê, não tem pra quê. Certamente o essencial é deixar feliz quem faz parte do seleto grupo daqueles que te merecem, aqueles que te amam e são por ti amados, as pessoas que são realmente importantes para estar na sua vida. E essas pessoas são aquelas que estarão felizes com a sua felicidade, seja ela popular ou não. Simples assim.





10 de janeiro de 2015

Adorei que a Carol do Pequena Jornalista me indicou para mais essa tag literária! É um assunto que amo e adoro compartilhar dicas e sugestões com vocês. É sobre livros lidos no ano passado e as perspectivas para 2015!

2014

1. Um livro que te surpreendeu em 2014? 

chez b. tag como eu era antes de você

Como Eu Era Antes de Você {Jojo Moyes}: não esperava que fosse tão maravilhoso!

2.  Um livro que te decepcionou em 2014?

chez b. tag as vantagens de ser invisível

As Vantagens de Ser Invisível {Stephen Chbosky}: vi um zilhão de resenhas elogiando e, quando li, odiei! Faz parte!

3. A melhor adaptação que você viu em 2014?

chez b. tag literária a culpa é das estrelas

A Culpa é das Estrelas {John Green}: foi perfeito!

4.  Um livro que não conseguiu terminar em 2014? 

Não sou de deixar livros pela metade, mas As Vantagens de Ser Invisível simplesmente não teve como terminar!

5. Quantos livros você conseguiu ler em 2014? 

Foram 20!

 

2015

6. Um livro que você está ansiosa para o lançamento em 2015? 

Não sei, são tantos os que ainda tenho pra ler! Ainda não vi os próximos lançamentos pra saber  realmente o que quero!

7. Um (ou mais) desafio que se dispôs a participar em 2015?

Nenhum! Não sou muito fã de desafios literários, gosto de ler o que eu quero, na hora que eu quero!

8. A adaptação mais aguardada por você em 2015?

Como Eu Era Antes de Você! Previso para agosto!

9. Uma leitura que pretende retomar em 2015? 

Nada, o que passou já passou…

10. Três livros da sua Meta para 2015? 

chez b. tag literária

A Seleção {Kiera Cass}; Laowai {Sônia Bridi}; Mar de Rosas {Nora Roberts}

 

Para responder a tag, indico:

Eu Suspiro
Como livros, bebo séries
Minha Vida em SP
Follow Cintia 





29 de dezembro de 2014

Todos os anos estipulo uma meta de livros que pretendo ler e anoto na estante do Skoob, pra não esquecer ao longo do ano. Pena que na maioria das vezes, tenho muito menos tempo disponível para a leitura do que realmente gostaria e, neste ano, foi assim. Inicialmente, planejei ler 24 livros, sendo dois por mês. Porém, tiveram alguns contratempos e não consegui bater a meta. Acabei lendo apenas 20 (sem contar o que estou lendo agora, Um Dia), ainda assim fiquei satisfeita com o saldo! Sou meio lenta pra ler, gosto de curtir cada palavra, saborear cada capítulo e ainda releio quando acho que não prestei atenção suficiente em alguma parte (#aloka). Então aqui estão os livros que li este ano, com autor e a nota que eu dei (de 0 a 5), lembrando que para ler a resenha é só clicar no título!

CHEZ B. LIVROS LIDOS 2014 - Cópia

Como Eu Era Antes de Você
Autora: Jojo Moyes
Nota: 5
 
Eu Sou Malala
Autoras: Malala Yousafzai e Christina Lamb
Nota: 5
 
Roube Como Um Artista
Autor: Austin Kleon
Nota: 5
 
Adultério
Autor: Paulo Coelho
Nota: 5
 
A Culpa é das Estrelas
Autor: John Green
Nota: 5
 
Quem é Você, Alasca?
Autor: John Green
Nota: 5
 
Em Tempos de Liberdade
Autora: Ana Cristina Vargas
Nota: 4
 
Em Busca de Uma Nova Vida
Autora: Ana Cristina Vargas
Nota: 4
 
CHEZ B. LIVROS LIDOS 2014
 
A Lua de Mel
Autora: Sophie Kinsella
Nota: 4
 
 Álbum de Casamento
Autora: Nora Roberts
Nota: 4
 
Ansiedade: Como enfrentar o mal do século 
Autor: Augusto Cury
Nota: 4
 
Mini Becky Bloom – Tal Mãe, Tal Filha
Autora: Sophie Kinsella
Nota: 3
 
Não Se Apega, Não!
Autora: Isabela Freitas
Nota: 3
 
Se Eu Ficar 
Autora: Gayle Forman
Nota: 3
 
A Assinatura de Todas as Coisas
Autora: Elizabeth Gilbert
Nota: 3
 
Quebre as Regras e Reinvente
Autor: Seth Godin
Nota: 1
 
As Vantagens de Ser Invisível
Autor: Stephen Chbosky
Nota: 1
 
 





23 de dezembro de 2014

Tenho paixão por livros desde que me entendo por gente e, apesar de conseguir ler menos do que gostaria, acho que até tenho bastante títulos na minha biblioteca virtual! E aí esses dias a Carol do Pequena Jornalista me indicou para essa tag e eu fiquei super feliz, já que é a primeira vez que respondo a uma tag literária! Obrigada, Carolzinha! A tag foi inspirada neste vídeo aqui e é bem divertida, vamos lá?!

1. “Ei coisinha, vá devagar”: Sabe aquele livro que você devorou rapidamente? Qual foi ele?

chez b. tag roube como um artista

Roube Como um Artista {Austin Kleon}: ok, é de fato um livro rápido! Mas, pra quem é uma tartaruga das leituras como eu, ler em uma tarde foi um tempo super recorde!

2. “Eu vou me segurar aqui”: Qual livro te prendeu?

chez b. tag como eu era antes de você

Como Eu Era Antes de Você {Jojo Moyes}: é muito amor por esse livro, por essa história, por esses personagens…

3. “Se eu cair eu quebro a minha clavícula”: Qual obra te desestabilizou emocionalmente?

chez b. tag eu sou malala

Eu Sou Malala {Malala Yousafzai e Christina Lamb}: é uma história real que até parece imaginária, de tão pesada e cruel a realidade vivida por Malala. Acho que é impossível não se impressionar!

4. “Meu óculos, ninguém sai!”: Qual livro você não empresta ou tem muito ciúmes?

Não tenho esse apego, acho que livro é pra ser compartilhado e empresto todos eles, sem ciúmes. Porém, “adaptei” a pergunta para aqueles livros que eu não doaria: todos os da autora Martha Medeiros! Amo e são meus queridinhos!

5. “Juliana você viu meu óculos?”: Qual livro você emprestou e nunca mais viu na vida?

chez b. tag roma e 1808

Roma {Steven Saylor} e 1808 {Laurentino Gomes}: o primeiro, emprestei para um grande amigo que acabou emprestando para outras pessoas e nunca mais tive notícias! Já o segundo, meu marido emprestou para o avô e também não vimos mais! De todo modo, não me importo, como eu não pretendia reler nenhum deles, fico feliz de outras pessoas poderem lê-los!

6. “Juliana tá des-mai-ada!”: Qual livro te deixou com ressaca literária, sem poder ler outros livros?

Facilmente, Eu Sou Malala. Fiquei algumas horas para absorver depois de terminar e alguns dias para digerir a história!

7. “Shamuchamochamu chama o Samu!”: Que livro te deixou louco pela continuação?

chez b. tag bridget jones

Bridget Jones – Louca pelo garoto {Helen Fielding}: Adoro Bridget e a volta dela me deixou super feliz! Depois de ler esse último livro, fiquei muito com um gostinho de quero mais!

8. “Eu errei, viu?”: Escreva aqui um pouco sobre aquele livro que você achou que seria uma coisa e é outra!

chez b. tag as vantagens de ser invisível

As Vantagens de Ser Invisível {Stephen Chbosky}: Li zilhões de resenhas super elogiando esse livro e, quando li (ou tentei ler, já que parei na metade) achei péssimo! Faz parte, né?! Foi dos poucos livros que não consegui nem chegar até o final!

 

 

Por fim, para responder a tag, indico três blogs de amigas que adoram uma leitura:

Eu Suspiro
Como livros, bebo séries
Minha Vida em SP





21 de dezembro de 2014

Escrever esse post é sinônimo de grandes mudanças na minha vida. Quando, em sã consciência, eu falaria sobre adorar o Natal? Não sei se é o espírito natalino finalmente tocando meu coração ou se uma (bem) futura possível maternidade está sutilmente invadindo minha mente, mas fato é que neste ano, com quase 30 (ai!) de vida, eu tô realmente gostando do Natal! E já que a chegada do bom velhinho se aproxima, compartilho aqui com vocês os cinco motivos que consegui identificar nesse repentino amor!

chez b. natal decor

Decoração super iluminada

Do pisca-pisca piscando enlouquecidamente na árvore às ruas cobertas decoradas pelas cidades mundo afora (na minha tem!) as luzinhas estão em todos os cantos! A decoração natalina é caprichada em shoppings e casas, ruas, praças e pontes! São árvores lindíssimas de todos os estilos e tamanhos, muitas bolinhas, lacinhos, fitas, pinguins, enfeites de todo gênero que refletem no brilho dos olhos! Tudo fica lindo, iluminado, colorido, piscante e feliz. Confesso um tantinho de melancolia com essas luzes todas, mas, ainda assim, gosto bastante!

Família reunida

Por família entenda-se: amigos queridos, amores e a família de sangue mesmo! É impossível não se sentir feliz pelo simples fato de estar com as pessoas que se ama, poder abraçar, conversar, celebrar. Tenho certeza que essa data, para muitas pessoas, é uma das poucas oportunidades de reunir todos os familiares e amigos. Penso que devemos sempre aproveitar o máximo esses momentos, dizer ou simplesmente demonstrar o quanto se é agradecido por ter pessoas tão especiais ao seu lado. Tô bem animada com a ceia desse ano, já que passaremos na casa da minha sogra, com meus pais, cunhados e sobrinho, com certeza será muito divertido!

chez b. natal panetone

Comidas gostosas

O primeiro pensamento natalino da minha mente plus size é, obviamente, a comida! Mesmo que nessa época eu, em regra, esteja de dieta (oi, verão!), não consigo deixar de morrer de amores por chocotone! Amo chocotone com todas as minhas forças e só o cheirinho dele já me faz querer deixar a dieta para o dia seguinte… ou ano seguinte… ou nunca mais! Sem falar nas outras comidas deliciosas que rolam na ceia de véspera, sempre acompanhada de uma (ou seriam duas?) boa taça de espumante e aquela sobremesa pra fechar com chave de ouro e dormir feliz.

Presentes

Seja no amigo secreto do trabalho, da família ou dos amigos; seja do seu amor, da sua mãe, do seu pai ou daquela tia querida, difícil quem não gosta de ganhar um presentinho, né, minha gente?! Eu adoro! Nesse Natal, tô que nem criança pequena louca pelos presentes, pedi até para o marido botar o meu embaixo da árvore (mesmo eu já sabendo o que é!) hahaha!

chez b. natal feriado

É feriado!

Bom, se nenhum motivo te convenceu, tenho certeza que esse é certeiro: Natal é feriado! E para quem trabalha na véspera, em regra, o expediente termina mais cedo! Ou seja, praticamente um dia e meio inteirinho de folga natalina! Já dá pra ser feliz, né?!

E vocês, o que mais gostam no Natal? Ou não gostam de nada mesmo e as pessoas também te chamam de Grint? Me conta!