início Ela Livros
Blogroll Contato


23 de dezembro de 2014

Tenho paixão por livros desde que me entendo por gente e, apesar de conseguir ler menos do que gostaria, acho que até tenho bastante títulos na minha biblioteca virtual! E aí esses dias a Carol do Pequena Jornalista me indicou para essa tag e eu fiquei super feliz, já que é a primeira vez que respondo a uma tag literária! Obrigada, Carolzinha! A tag foi inspirada neste vídeo aqui e é bem divertida, vamos lá?!

1. “Ei coisinha, vá devagar”: Sabe aquele livro que você devorou rapidamente? Qual foi ele?

chez b. tag roube como um artista

Roube Como um Artista {Austin Kleon}: ok, é de fato um livro rápido! Mas, pra quem é uma tartaruga das leituras como eu, ler em uma tarde foi um tempo super recorde!

2. “Eu vou me segurar aqui”: Qual livro te prendeu?

chez b. tag como eu era antes de você

Como Eu Era Antes de Você {Jojo Moyes}: é muito amor por esse livro, por essa história, por esses personagens…

3. “Se eu cair eu quebro a minha clavícula”: Qual obra te desestabilizou emocionalmente?

chez b. tag eu sou malala

Eu Sou Malala {Malala Yousafzai e Christina Lamb}: é uma história real que até parece imaginária, de tão pesada e cruel a realidade vivida por Malala. Acho que é impossível não se impressionar!

4. “Meu óculos, ninguém sai!”: Qual livro você não empresta ou tem muito ciúmes?

Não tenho esse apego, acho que livro é pra ser compartilhado e empresto todos eles, sem ciúmes. Porém, “adaptei” a pergunta para aqueles livros que eu não doaria: todos os da autora Martha Medeiros! Amo e são meus queridinhos!

5. “Juliana você viu meu óculos?”: Qual livro você emprestou e nunca mais viu na vida?

chez b. tag roma e 1808

Roma {Steven Saylor} e 1808 {Laurentino Gomes}: o primeiro, emprestei para um grande amigo que acabou emprestando para outras pessoas e nunca mais tive notícias! Já o segundo, meu marido emprestou para o avô e também não vimos mais! De todo modo, não me importo, como eu não pretendia reler nenhum deles, fico feliz de outras pessoas poderem lê-los!

6. “Juliana tá des-mai-ada!”: Qual livro te deixou com ressaca literária, sem poder ler outros livros?

Facilmente, Eu Sou Malala. Fiquei algumas horas para absorver depois de terminar e alguns dias para digerir a história!

7. “Shamuchamochamu chama o Samu!”: Que livro te deixou louco pela continuação?

chez b. tag bridget jones

Bridget Jones – Louca pelo garoto {Helen Fielding}: Adoro Bridget e a volta dela me deixou super feliz! Depois de ler esse último livro, fiquei muito com um gostinho de quero mais!

8. “Eu errei, viu?”: Escreva aqui um pouco sobre aquele livro que você achou que seria uma coisa e é outra!

chez b. tag as vantagens de ser invisível

As Vantagens de Ser Invisível {Stephen Chbosky}: Li zilhões de resenhas super elogiando esse livro e, quando li (ou tentei ler, já que parei na metade) achei péssimo! Faz parte, né?! Foi dos poucos livros que não consegui nem chegar até o final!

 

 

Por fim, para responder a tag, indico três blogs de amigas que adoram uma leitura:

Eu Suspiro
Como livros, bebo séries
Minha Vida em SP





18 de dezembro de 2014

chez b. álbum de casamento nora roberts

Quando li esse post da Kat no Eu Suspiro, corri para comprar Álbum de Casamento, da Nora Roberts. Assim como ela, eu tinha uma espécie de preconceito com as obras dessa autora. Acho que mais pelas capas do que pelo tema em si (já que sou bem chegada num romance), as quais me parecem meio bregas, meio clichês e, como bem disse a Kat, com cara de romance de banca! Mas, ela leu, gostou e indicou. Então não pensei duas vezes, fui conferir!

Álbum de Casamento é o primeiro livro da série Quarteto de Noivas, de Nora Roberts. São quatro livros em que cada um conta a história de uma das amigas e sócias da empresa Votos, que cuida da organização de casamentos. Mac, Laurel, Parker e Emma são grandes amigas desde a infância, moram na mesma propriedade, são jovens e bem sucedidas em suas profissões (cada uma cuida de um ramo da Votos). O primeiro livro tem como personagem principal Mac, a fotógrafa de noivas que reencontra Carter, um antigo colega dos tempos de escola, por quem parece estar se apaixonando…. e aí a história se desenrola!

chez b. álbum de casamento quarteto de noivas

Gostei muito do livro. Realmente quebrou aquela visão tola que eu tinha de Nora Roberts. É um romancezinho super leve, de fácil e rápida leitura, que segura bem o leitor. Não é enrolado, pouco profundo, mas o enredo é animado e segue num ritmo bom até o fim. No próximo, Mar de Rosas, a personagem é Emma, a decoradora da Votos. Eu já comprei e está na minha lista de leitura de 2015, assim como os demais da série! Leiturinha super recomendada para os dias de praia e piscina, daqueles que não requerem muita atenção, mas garantem bons momentos!

 

chez b. álbum de casamento nora roberts nota





11 de dezembro de 2014

Já faz um tempo que escrevi um post sobre o primeiro livro dessa trilogia, o Em busca de uma nova vida. Como se trata de literatura espírita e, obviamente, não agrada a todos, pensei em não resenhar os livros da sequência. Mas, reli uns posts antigos e cheguei à conclusão (mais uma vez) que este espaço é, acima de tudo, um cantinho virtual de livre expressão, onde opino, dou pitaco e falo de todas as coisas que realmente gosto. Literatura espírita é uma delas. E, ainda que não seja unanimidade, sei que várias leitoras curtem!

Em tempos de liberdade relata outra encarnação do espírito Layla. O ano é 28 d.C e vive-se o apogeu do Império Romano. Layla encarna Verônica, fruto de um violento estupro praticado contra uma escrava espartana. Ela cresce reclusa em uma vila até que, ao perder sua mãe e sua senhora, se vê obrigada à encarar o mundo sozinha. Viveu nas ruas, prostituiu-se, estudou para ser gladiadora, arrebatou corações. A história de Verônica prende, o enredo é mais rápido que o primeiro da série e continua envolvente. A evolução espiritual de Layla, as situações vivenciadas nessa vida e os diálogos travados com os demais personagens (alguns reencarnações de espíritos citados em Em busca de uma nova vida) são repletos de mensagens e ensinamentos extremamente válidos e importantes para o nosso cotidiano.

chez b. em tempos de liberdade trilogia

A carga de lições desses livros são impressionantes e me levam a grandes reflexões sobre a vida, sobre o amor, sobre nossos atos e atitudes. Mais uma vez, recomendo!

 chez b. em tempos de liberdade nota





14 de novembro de 2014

chez b. se eu ficar 2

Mia é uma violoncelista de 17 anos, que vive em Oregon com seus pais e seu irmãozinho Teddy. Numa manhã de nevasca, a família sai de carro e sofre um grave acidente. Mia vê seu corpo vivo sendo retirado dos destroços e levado para um hospital, mas não sente nada. Se eu ficar narra, sob a ótica de Mia, os acontecimentos das 24 horas seguintes ao desastre, até ela se dar conta de que precisa fazer uma importante escolha.

Queria muito ler o livro antes de assistir ao filme, que saiu de cartaz há pouco tempo. Não me apaixonei, mas, também, não me arrependi. Curto, simples e com enredo bem dinâmico, a história varia entre o passado e presente de forma clara, sem deixar o leitor perdido no tempo.

Acompanhar Mia fora do corpo, durante o período pós-acidente nos leva a muitas reflexões sobre a vida e nossas escolhas que, por vezes, podem ser definitivas. É quase impossível não se imaginar na situação da protagonista, o que causa uma apreensãozinha. Porém, apesar do tema muito interessante, acho que poderia ter sido melhor explorado. Os questionamentos e pensamentos de Mia sobre a questão central poderiam ir um pouco mais além, trazendo mais densidade ao livro.

Outra coisa que não me agradou tanto na história, foi o fato não ter me apegado à Mia e, muito menos, ao casal Mia & Adam. Sabe quando aquele amor não convence? Pois então! A relação deles não me emocionou, não me deixou com frio na barriga e tampouco na torcida insana pelo final feliz do casal! Isso foi o que mais frustrou no livro. Já o final evasivo, que incomodou muita gente, não me afetou. Achei uma boa opção da autora, deixando o leitor à espera de algo mais.

Enfim, gostei do livro, embora não tenha sido tudo aquilo que eu imaginava. Vale a leitura sim, porém, não é imperdível. Já está disponível a continuação, Para onde ela foi, que pretendo ler em breve!

Agora vou assistir ao filme! Depois conto o que achei!

 

chez b. se eu ficar





23 de outubro de 2014

as vantagens de ser invisivel 2

Sou daquelas pessoas que não conseguem abandonar um livro pela metade, mesmo que não esteja gostando muito. Então, imaginem o quão chata e arrastada estava a leitura de As Vantagens de Ser Invisível quando, lá pela página 150, me dei por vencida e pulei direto para as três páginas finais.

Li inúmeras resenhas antes de encarar este livro e acho que por isso minha decepção foi imensa. Não me tocou, não me encantei, não senti qualquer envolvimento. A narrativa é epistolar e muito enrolada. Com um texto fraco e truncado, Charlie escreve cartas para “um amigo” não identificado, contando seus dramas e descobertas de uma maneira, pra mim, superficial e imatura.

as vantagens de ser invisivel

Não gostei, não me identifiquei e não tive paciência para ler até o final, o que, como eu disse antes, raramente acontece. Talvez eu não tenha entendido a essência da história e dos sentimentos de Charlie, talvez. E, claro, é só minha opinião. Basta uma pesquisa rápida no Google pra você ver uma série de resenhas ovacionando o livro. De todo modo, fica a dica de que gostei bem mais do filme – bem fofo, por sinal – do que do livro.

Alguém mais leu? O que acharam?

 

 

Fiquei com o seu número