início Ela Livros
Blogroll Contato


30 de junho de 2015

chez b literatura uma historia de amor e toc 01

Quando recebi Uma História de Amor e TOC da Editora Galera Record fiquei animadíssima: a capa é linda, o tema bacana e o livro veio com vários cartõezinhos com pensamentos sobre assunto, um tubinho de álcool em gel (mostrei nesse vídeo), marcador de páginas e uma cartinha. Como recém tinha lido Amy & Matthew, com enredo semelhante, passei o livro para o final da fila de leitura, pois imaginava que seria bem parecido mesmo. Mas, não foi tanto.

Uma História de Amor e TOC nos apresenta Bea e Beck, um casal que frequenta o mesmo grupo de terapia, pois ambos são diagnosticados com transtorno obsessivo-compulsivo. Porém, o foco do livro, na verdade, passa longe de ser o romance do casal. A abordagem nitidamente gira totalmente em torno da doença de Bea, do seu perfil stalker e do quanto ela não aceita sua situação, escondendo a verdade e não desapegando dos hábitos aparentemente esquisitos, incentivados pelo problema.

Eu achei que gostaria muito mais da leitura. A escrita é boa sim, mas não flui. É rica em detalhes, porém abusa da formalidade, de modo a se tornar cansativa. Apesar de a narração ser em primeira pessoa – como prefiro -, Bea não tem carisma. A personagem não me sensibilizou, nem mesmo seu histórico com o TOC. Os demais personagens não são muito aprofundados, deixando-nos, aparentemente, sem conhecê-los muito bem.

Não é um livro ruim e, como eu disse lá em cima, aborda um tema que considero bem interessante e delicado. Porém, achei Amy & Matthew muito superior e, talvez por isso, Uma História de Amor e TOC não tenha correspondido minhas expectativas e, tampouco, entrado para a lista de favoritos. De qualquer forma, acho uma leitura bacana pra quem curte muito o tema.

 

chez b literatura uma história de amor e toc 01

 

 





23 de junho de 2015

chez b literatura de repente ana 03

{contém leves spoilers sobre Simplesmente Ana}

De Repente, Ana é o segundo livro da série Simplesmente Ana, que inicia com o livro homônimo, sobre o qual falei na semana passada. Assim como o primeiro e Elena: a filha da princesa, De Repente Ana é uma delícia de leitura!

A história começa dois anos após o término do livro anterior. A vida de Ana está perfeitamente bem: namorando Alex, formada em Direito no Brasil, mas residindo permanentemente na Krósvia. Ana trabalha na embaixada brasileira no país de seu pai e, ainda, dedica-se às meninas do Lar Irmã Celeste, do qual tanto gosta. Porém, um acidente aéreo deixa o Rei Andrej em estado grave na UTI, de modo que Ana se vê obrigada a assumir o trono da Krósvia e governar o país, até que seu pai se recupere. Além da imensa responsabilidade, a princesa terá que lidar com situações difíceis e pessoas que não a querem nada bem!

De Repente, Ana é mais um livro encantador de Marina Carvalho. No início, achei que não curtiria, pensei que pudesse ser um tanto repetitivo. Mas, não! Li até mais rapidamente do que o anterior, já que realmente não consegui desgrudar até chegar ao fim. Com aquela escrita simples e rápida como é típico da autora, misturando coisas comuns do nosso dia-a-dia a um conto de fadas moderno, o enredo nos prende e surpreende.

chez b literatura de repente ana 01

Uma leitura deliciosa que super indico!

 

 

chez b literatura de repente ana 02

 Quer ganhar o livro Elena, a filha da princesa? Então, clica aqui que tá rolando sorteio!





16 de junho de 2015

chez b literatura simplesmente ana 01

Semana passada falei pra vocês do livro Elena, a filha da princesa. Como é um spin-off da história de Ana Markov, achei justo resenhar os dois primeiros livros também! Então, hoje vamos falar de Simplesmente Ana, o primeiro da série escrita pela brasileira Marina Carvalho.

Simplesmente Ana traz a história de uma universitária mineira que cresceu sem saber quem era seu pai. Até que o próprio a procura no Facebook e, além de descobrir que nunca foi abandonada (diferente do que sua mãe dizia), Ana descobre que é uma princesa, já que seu pai é Andrej Markov, rei da Krósvia – um pequeno país situado no leste europeu.

Ana vai passar um tempo na terra natal paterna, onde conhece sua tia, primos e o insuportável Alexander, o enteado de Andrej. É mimada pelos empregados do palácio e pelo pai. Apesar disso, sente muitas saudades de seus avós, sua mãe, a melhor amiga Estela, além de um rolinho – Arthur – que deixou no Brasil. Ana, então, fica entre sua vida no Brasil e na Krósvia, em meio a saudades e descobertas, além de uma paixão arrebatadora e inesperada…

Simplesmente Ana é daqueles livros que realmente não dá pra largar. Com uma linguagem fácil e acessível, a história flui rápida e empolga muito. As menções a fatos normais do nosso cotidiano é um dos pontos altos dos livros de Marina Carvalho e nos aproxima muito da protagonista, fazendo com que se pareça uma super amiga!

chez b literatura simplesmente ana 02

Adorei super e indico pra quem curte um bom chick lit! ♥

 

chez b literatura simplesmente ana 03

Redes sociais: Facebook ♥ Instagram ♥ Youtube





10 de junho de 2015

chez b. literatura elena a filha da princesa 01

Elena: a filha da princesa é um spin-off de Simplesmente Ana e De Repente, Ana, que contam a história de Ana Markov, a mãe de Elena e, portanto, a princesa da qual se fala no título.

Em resumo: Elena é uma linda jovem de 19 anos, neta do rei da Krósvia, um pequeno país situado no leste europeu. Altruísta, trabalha voluntariamente com crianças carentes na Nigéria, quando seu pai pede que volte ao país natal, pois sua mãe, a princesa Ana, enfrenta uma gravidez gemelar de alto risco. Ao retomar a vida no palácio, Elena deparará com uma grave crise no país – provocada por republicanos que lutam pela queda da monarquia – e reencontrará o primo Luka, por quem nutre sentimentos confusos e perturbadores. E aí inicia o desenrolar da história…

Embora tenha lido os dois primeiros livros, não considero estritamente necessária a leitura para que se entenda o enredo de Elena. No entanto, é muito bacana ver a evolução dos personagens dos livros anteriores, como estão suas vidas passados 20 anos. Aqui não achei tão estranho o fato de ver Ana e Alex mais velhos e pais, como aconteceu em A Herdeira. A passagem do tempo me pareceu mais natural, não sei. Nesse quesito, acho que a autora nacional Marina Carvalho obteve maior êxito.

Assim como os anteriores, Elena, a filha da princesa é um livro encantador. A escrita é rápida, leve, com linguajar super atual e referências bacanas a situações, artistas, costumes e gírias do nosso cotidiano. A narração flui muito fácil, de modo que nos prende e nos faz ficar sempre atentos ao próximo passo, sem conseguir desgrudar do livro.

Outra coisa super legal em Elena é a construção dos personagens centrais. Como alguns capítulos são narrados em primeira pessoa por Elena e outros por Luka, dá pra ter uma visão bem bacana da personalidade de ambos, entender cada momento sob a ótica de um e de outro. E também dá para odiar muito Luka. Ou não. Isso você só vai saber quando ler o livro!

chez b. literatura elena a filha da princesa 02

Ah, mais um comentário: que capa linda! É daqueles livros que a gente compra pela capa e não se arrepende! #soudessas Enfim, adorei e super indico!

 

chez b. literatura elena a filha da princesa 03

 

Redes sociais: Facebook ♥ Instagram ♥ Youtube





3 de junho de 2015

chez b. literatura a seleção a herdeira livro

Inicialmente, a série A Seleção foi divulgada pela autora como trilogia. Lá pelas tantas, no entanto, o sucesso foi tanto que Kiera Cass anunciou um quarto livro: A Herdeira. Fiquei alegre e saltitante esperando o lançamento e aqui estou para contar o que achei dessa continuação!

Resumidamente, A Herdeira conta a história da princesa Eadlyn, filha de America e Maxon. Apesar de ter um irmão gêmeo, Eadlyn nasceu 7 minutos antes, o que lhe dá o direito a sucessão do trono de Illéa. Porém, o povo mostra-se insatisfeito com a monarquia e a dissolução das castas e, para tentar reverter a situação e animar a população, os reis sugerem à filha que seja feita uma Seleção para que ela escolha seu futuro marido. Contrariadíssima, Eadlyn vê-se obrigada a concordar.

Dos quatro livros da série, esse foi, de longe, o que menos gostei. Eadlyn é teimosa, prepotente, mimada e se acha a rainha (digo, princesa) da cocada cintilante. Achei uma personagem sem carisma, completamente diferente de sua mãe – a protagonista dos demais enredos. Também foi um pouco estranho ver Maxon e America pais. O livro não é chato, realmente curto a escrita fluida da autora. Porém achei levemente arrastado em alguns momentos. Talvez pelo motivo de a personagem central não ter me agradado e não vermos muito da nossa querida America nessa edição, além da alta expectativa que criei, eu tenha me frustrado um pouco.

CHEZ B. A SELEÇÃO A ESCOLHA KIERA CASS 02

O livro dá azo a uma continuação. Aliás, ele necessita de uma continuação, considerando que termina sem final. Ainda não sei quando será o lançamento do quinto livro da série, mas certamente lerei, mesmo A Herdeira não tendo sido meu favorito.

Para quem leu os três primeiros livros da série, recomendo sim a leitura!

 

 

chez b. literatura a seleção a herdeira nota

 

 

Siga nossas redes sociais: Facebook ♥ Instagram ♥ Youtube